O dia em que Bob Dylan recebeu o chamado de Jesus por meio de um fã
04/10/2021 18:13 em Radio Gospel Online - Musicas Cristãs No Mundo

Episódio inspirou a chamada trilogia cristã do artista, com discos que refletiram seu despertar espiritual No final dos anos 1970, o cantor e compositor Bob Dylan, prestes a completar 40 anos, vivia uma espécie de rebordosa do sucesso meteórico que viveu na década anterior. Seu então álbum mais recente, Street Legal (1978), havia decepcionado comercialmente e sido recebido duramente pela crítica, ao mesmo tempo que o músico ainda enfrentava as mazelas de todos os excessos da vida na estrada. EPIFANIA Dylan estava em busca de salvação, que chegou por meio de um fã, durante uma apresentação em San Diego, Califórnia, em 17 de novembro de 1978. “Chegando ao final do show, alguém na plateia… soube que eu não estava me sentindo muito bem. Acho que puderam perceber isso. E jogaram um crucifixo prateado no palco”, disse o músico em entrevista ao biógrafo Clinton Heylin, autor do livro Bob Dylan: Behind the Shades Revisited (2003). “Eu normalmente não recolho coisas na frente do palco […]. Mas olhei para o crucifixo abaixo de mim e falei: ‘Preciso pegar isso’. Então apanhei o crucifixo, coloquei no meu bolso… E levei comigo para camarim e depois para a cidade seguinte, que era no Arizona. Eu estava me sentindo ainda pior do que me senti em San Diego.” Em seu quarto de hotel na cidade de Tucson, Dylan colocou o crucifixo no pescoço e experienciou o que ele acredita ter sido uma visão de Cristo. “Jesus apareceu para mim como o Rei dos Reis, e Senhor dos Senhores. Havia uma presença naquele quarto que não poderia ser ninguém além de Jesus… Jesus colocou sua mão em mim. Foi algo físico. Eu senti. Senti por inteiro. Senti meu corpo tremer. A glória do Senhor me derrubou e depois me levantou”, disse Dylan, na mesma entrevista. GOSPEL E TEMAS CRISTÃOS A epifania foi suficiente para Dylan dar um novo senso de propósito à própria vida e para levar adiante esses ensinamentos da Bíblia por meio de três discos. O primeiro deles foi Slow Train Coming (1979), no qual experimentou com arranjos gospel e recrutou ninguém menos que Mark Knopfler, que então começava a fazer sucesso com a banda Dire Straits, para gravar a guitarra das faixas. A canção de abertura, You Gotta Serve Somebody (“você tem de servir a alguém”), foi seu primeiro sucesso em mais de três anos e garantiu-lhe o prêmio Grammy de melhor performance vocal masculina, em 1980. O álbum ficou em terceiro lugar nas paradas do Reino Unido e foi disco de platina nos Estados Unidos. O sucesso abriu caminho para mais dois discos de Bob Dylan com passagens bíblicas e temática cristã: Saved (1980), no qual manteve arranjos enraizados no gospel e no soul, incluindo uma versão do clássico country A Satisfied Mind, Jack Rhodes; Shot of Love (1981), que em agosto completou 40 anos, com base mais rock ‘n’roll e singles como Every Grain of Sand. Durante um show da turnê de Shot of Love, Dylan disse à plateia: “Costumavam tentar me convencer de que eu era um profeta. Agora me exponho e digo: Jesus é a resposta”.

COMENTÁRIOS